Neurofeedback na Optimização de Performance


Para alcançar um nível superior de desempenho, necessitamos conceber objectivos desafiantes, alicerçados em planos de acção estruturados. Indivíduos com um desempenho de nível superior têm por norma, uma percepção elevada da sua auto-eficácia, que se pode definir como um julgamento seguro acerca da própria capacidade para executar as acções necessárias e alcançar os objectivos visados.

Pessoas com estas capacidades agem com base no conhecimento intuitivo, com confiança e segurança mesmo quando estão fora da sua zona de conforto.

O treino de Neurofeedback para a optimização de desempenho, permite uma consciencialização mais profunda dos processos mentais envolvidos no trabalho e o reforço do controlo dos mesmos. Através do treino com o Neurofeedback é possível:

- Desenvolver um estado interno de controlo;
- Controlar impulsos;
- Aumentar a iniciativa / motivação (evitar estados de procrastinação/adiamento exagerado);
- Reduzir e/ou controlar a ansiedade e o stress associados às pressões do trabalho;
- Promover a concentração;
- Melhorar os padrões de sono e/ou fadiga;
- Aumentar a calma interior (escutar-se a si mesmo/a e auto-regular-se);
- Melhorar o equilíbrio emocional.

Ajudar as pessoas a desenvolver um optimismo criativo que lhes permita ver obstáculos como desafios a superar, a pensar em termos ganha-ganha (win-win), a ver as consequências como o resultado lógico e natural dos processos, são alguns dos outputs deste treino.

A exposição ao feedback visual e sonoro estimula nos indivíduos, a transferência dessa aprendizagem para o seu contexto profissional específico. Assim, quando o desempenho é exigido, os indivíduos serão capazes de definir prioridades com mais clareza, manter a concentração e o foco, potenciando a qualidade e o alcance dos resultados produzidos.




O que a investigação nos diz acerca da utilização do Neurofeedback?

Segundo Niv (2013), o Neurofeedback promove o aumento de desempenho cognitivo e da criatividade. Como alfa e teta são ondas conhecidas por serem predominantes em estados meditativos, o Neurofeedback pode produzir resultados positivos semelhantes à meditação, para a atenção e o foco (Chan & Woollacott, 2007).

Vários estudos de investigação revelaram melhorias nas capacidades cognitivas em pessoas saudáveis (p.e., Monastra, et al., 2005):

o Atenção sustentada (concentração) e divida (importante para multi-tasking);
o Memória de trabalho (capacidade de manter a informação “online” e manipulá-la);
o Diminuição de erros por impulsividade;
o Maior flexibilidade cognitiva e capacidade de tomada de decisão.